quinta-feira, maio 10, 2007

Beauty Out Of Place

I first saw it in Raquel's blog and today meiadeleite also mentioned it on her site. In my opinion, is so interesting that deserve to be presented in here as well.

The text linked in meiadeleite in pretty long, but still is worth reading. It mentions the process of the experiment since concept to the conclusions (if any).

Now, my 2 cents:
If a painting needs to be in a museum to be appreciated as a master piece.. then, in my opinion, is not that much of a master piece!

Don't get what I mean? I again recommend to read the long text!

Hummm this now reminds me that artist that makes guerrilla actions by putting unrelated "art" in museums and waits until the curators/security noticed that is something wrong.

In the XXI century, everything and nothing are Art.

4 Tremuras:

apple_orange_banana disse...

Li na altura esta notícia no jornal, acho se estivesse no 11º ano em Filosofia provavelmente a minha prof abriria um debate, sobre aquilo que nos ensinam ser o "belo" e o reconheçido e que partirá certamente mais de premissas que nos impõem do que propriamente da nossa opinão.
Um exemplo mto bom disso foi o museu Miró que visitei, uma das grandes obras de arte dele são 3 telas brancas do tamanho de paredes, cada uma delas tem um risco com direcções distintas, cada risco fazia-me lembrar uma rachadela de tinta daquelas fininhas que aparecem nos tectos. A explicação audio da obra tinha uns 20m que recusei ouvir, é uma obra de arte e está num museu, isto pq alguém ou "alguens" assim o considerou.

Flaw disse...

Uma coisa que eu sempre disse: "não precisas de olhos para veres as coisas, mas necessitas de visão". As pessoas andam muito ocupadas e não dão valor ás coisas que as rodeiam.

ana disse...

há arte e arte, não é? mas a beleza de um quadro tem mais de subjectivo do que uma peça tocada num violino, acho eu.

na medida em que, se deres um violino para as mãos de um miúdo de 4 anos, bem, o melhor é fugires... :P enquanto que se o puseres a pintar, o que sai da mão dele pode ser confundido com uma peça vanguardista.

quando alguém toca como o sr. bell, alguém que toca efectivamente bem, e ninguém se apercebe ou se dá conta que está ali qualquer coisa mágica a acontecer... é triste.

claudette disse...

aproveito o comentario da ana para deixar a minha opinião:
para se tocar bem num violino é preciso toda a tecnica e muito, muito treino. para se fazer arte, é preciso toda a técnica e muito muito treino.

um miudo, com um violino ou uma folha branca nas mãos apenas se expressa.

isto serve para a musica, arquitectura, escultura, etc.

desde o início dos tempos!

Enviar um comentário