segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Dias diferentes servem para tirar boas conclusões

Ontem foi dia de baptizado!

Desenterrar o fato do guarda-fatos, procurar os sapatos na montanha,não pentear o cabelo que dá muito trabalho.
Embrulhar a prenda num pedaço de papel claramente sobre-dimensionado, andar a porrada com a fita cola que teimava em partir-se em pontos que não interessavam, maldizer-me por ter esquecido de comprar as pilhas para o brinquedo.

[É terrível comprar um brinquedo para um miúdo de 1 ano. Pelo menos de jeito. As alternativas passariam por comprar roupa ou algo útil mas não sabia o que é que os pais já tinham (algumas das ideias que tive depois acabei por confirmar que já tinham adquirido). O problema é que a possibilidade de escolha em termos de brinquedos pseudo-educativos é extremamente baixa. A maior parte prende-se em girar volantes sem consequência ou carregar em botões para fazer barulho (e aqui é preciso pensar também nos pais e vizinhos). Ainda sobre este tema sou capaz de voltar no próximo post.]

Chegado à igreja, foi rever amigos que já não via a algum tempo. O Lexx de fato, careca com uma barbicha e brinco esquisito parece que foi tirado vitima de corta-cola de uma criança munida de revistas e tesoura.

A seguir à cerimonia religiosa, foi tudo para Leça comer.. e que banquete! Se o fato já me estava apertado [nota mental #11: perder a almofadinha :( ] após entradas, bacalhau, lombo de porco e sobremesas já nem me conseguia sentar na cadeira.. nem eu nem ninguém e com a praia ali mesmo ao pé só apetecia era ir passear. Muito bom o convívio. Estão de parabéns os organizadores.

[Agora o conteúdo pelo qual fiquei a matutar desde ontem para este post]
Na igreja o padre era a real moca. Muito bem disposto, (será que já estava bebido?) deu um sermão interessante. Tendo como ponto principal o baptizado e a escolha sobre entrada espiritual, também tocou no assunto do casamento (porque será......) onde notou algo que é comum hoje em dia:
Facilmente se ouve dizer "Eu quero alguém que me faça feliz!"

Considero este pensamento extremamente egoísta (e pelos vistos o padre também)! E olhando para o passado, recordando outros momentos em que era feliz e pensando um pouco no assunto facilmente se chega a outra conclusão:

"Eu quero alguém que eu queira fazer feliz!"

Fazendo isto.. a nossa felicidade é muito mais interessante.

----------------
Now playing: Massive Attack - Teardrop
via FoxyTunes

4 Tremuras:

meiadeleite disse...

eu concordo contigo :)

Gipsy Queen disse...

Tao querido...! Estás no bom caminho ;)

Flaw disse...

Passei a semana toda a deambular pelas ruas e sempre a pensar em algo que disseste há uns tempos ("já não sei o que é estar apaixonado"). Portanto, dá para ver que não tenho tecido outro tipo de considerações relacionadas com isto (má onda, eu sei).
E um baptizado é sempre momento de alegria, principalmente quando se revê pessoas de quem gostamos... (eu ainda não passei por essa fase...)

Fuazona disse...

Eh lá!
Isso é uma conclusão incrivel!

*Carimba com o selo de aprovação incondicional da fuá*

Enviar um comentário